quinta-feira, 9 de outubro de 2008

eterno

mais que sorriso silente
mais que ruidosa mudez

mais que paleta de tintas
ressecada, quebradiça
que o pincel endurecido
no ateliê deserto

mais que partir outra vez
dói a terrível certeza
do retorno sempre certo



Clique no título e ouça o poema na voz de Mariane Bigio, no programete Pois é, Poesia

2 comentários:

Márcia disse...

Bem-vinda à blogosfera. ;)
Já linkei lá nos meus.
Beijo!

Gerusa Leal disse...

Brigada, Márcia. Agora preciso dos teus pra linkar aqui.
Beijos